Implantação do PJE

Desde que a ASSESP tomou conhecimento da implantação do PJE - Processo Judicial Eletrônico, inclusive nas delegacias, passou a tomar providências, para obter a documentação necessária para compreender a demanda.


Solicitamos informações à Delegacia Geral, acionamos a nossa assessoria jurídica e também solicitamos reunião com o presidente do TJRN para tratar da questão, que em uma primeira análise parecia ser descabida.


"Toda inovação que traga agilidade e melhorias no trabalho do escrivão será sempre bem vinda, afinal é para isso que devem surgir as novidades tecnológicas, para oferecer praticidades, no entanto, a imposição por parte do TJRN de que os policiais civis, sobretudo os escrivães devem realizar o cadastro de processos judiciais, de total competência do Poder Judiciário, baseadas em resoluções e portarias daquele poder, nos parece totalmente abusiva e descabida!", afirma a presidente Carolina Campos.


Desta forma, os escrivães farão as vezes de cartório distribuidor do TJRN, o que considerando a enorme discrepância de recursos humanos e financeiros, chega a ser desumano, além de criar novas atribuições além daquelas constante em nosso Estatuto.


Ainda que as mudanças sejam inevitáveis, não podemos nos submeter à regras e sistemas de outro órgão, criando assim novas atribuições, novas etapas em nosso trabalho, que não temos condições de assumir.


Tomamos conhecimento de que o cadastro de um TCO simples chegou a levar 32 minutos. Um tempo perdido na rotina do escrivão que já é extremamente sobrecarregado.


Estamos aguardando a reunião com o presidente do TJRN com as entidades de classe da Polícia Civil, para trazer maiores esclarecimentos.


Por enquanto, informamos que estamos empenhados em contestar de todas as formas esta medida abusiva.


60 visualizações

Associação dos Escrivães de Polícia Civil do  RN

Rua Madre Vasconcelos, 1884, Candelária, Natal RN - assesprn@gmail.com -  Contato: (84) 3206-5821 (Whatsapp)